logo

Civilização e Outros Contos

  • Home
  • /
  • Catálogo
  • /
  • Civilização e Outros Contos
pdf Veja por dentro
  • Autor
  • Coleção
  • ISBN 9789897076008
  • PVP 11.59 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição fevereiro de 2018
  • Edição atual 1
  • Páginas 264
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 140x208x18 mm
  • Idade 13+
  • Disponibilidade
    Disponível
  • Comprar

 

Plano Nacional de Leitura


Literatura - dos 9-11 anos - dos 12-14 anos

Eça de Queirós, no seu estilo inconfundível, foi um dos maiores contistas da literatura portuguesa. 

Publicados em inúmeros jornais e revistas ao longo de toda a sua carreira jornalística, os contos de Eça de Queirós foram reunidos, pela primeira vez, em 1902. Como contista, Eça procurou explorar essencialmente temas históricos e reflexões sobre a condição humana.

Civilização, A Aia, O Tesouro, O Suave Milagre, Outro Amável Milagre, Singularidades de Uma Rapariga Loura, Frei Genebro, A Perfeição e José Matias, contos escolhidos para esta obra, demonstram a capacidade engenhosa do autor para criar personagens inesquecíveis em enredos simples e curtos.

«Como se vê, Eça de Queirós escreveu contos para todos os gostos, e o presente volume, que inclui uma seleção criteriosa e representativa, deve ser, por isso mesmo, lido, saboreado e desfrutado - e, claro, abrir o apetite para a restante obra do mestre.» in Prefácio de Maria do Rosário Pedreira

 

A Coleção Tesouros da Literatura, da qual este livro faz parte, oferece uma cuidada seleção de obras infantojuvenis aclamadas universalmente, muitas das quais são recomendadas pelas Metas Curriculares de Português e pelo Plano Nacional de Leitura.

José Maria Eça de Queirós nasceu a 25 de novembro de 1845, na Póvoa de Varzim.

Formou-se em Direito na Coimbra romântica e boémia dos anos 60, onde se deixou influenciar pelas correntes estéticas e ideológicas da vida literária desses anos: socialismo, realismo e naturalismo.

Conheceu a experiência do jornalismo n’O Distrito de Évora e na Gazeta de Portugal, onde colaborou, escrevendo para folhetins. Trabalhou grande parte da sua vida como cônsul, primeiro em Havana e depois em Inglaterra. Eça de Queirós era um observador atento da sociedade do século XIX e não deixou que a distância o impedisse de escrever acerca daquele que foi um dos pilares das suas obras: a crítica aos costumes do seu país.

As suas obras já foram traduzidas para mais de vinte línguas.

Livros publicados


A Cidade e as Serras

    Um clássico sempre atual, numa edição revista e atualizada, com prefácio de José Jorge Letria.

    Os Maias

      Uma obra-prima da literatura portuguesa, que se tornou um clássico consagrado a nível mundial.