• Autor Rita Jerónimo
  • Ilustrador
  • Coleção Fora de Coleção
  • ISBN 9789897077876
  • PVP 14,99 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de fevereiro de 2020
  • 1ª Edição setembro de 2018
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 72
  • Apresentação capa dura
  • Dimensões 197x250x13 mm
  • Idade 9+

 

«O património é aquilo que herdamos dos nossos antepassados, que é transmitido entre gerações e que as pessoas reconhecem como parte da sua história e da sua cultura.»

Os avós da Sara e do Tomás desafiaram os netos para uma viagem à descoberta do património cultural português reconhecido como Património da Humanidade pela UNESCO. Ao longo do passeio vão ficar a conhecer a Paisagem do Douro Vinhateiro, os Bonecos de Estremoz, o Convento de Cristo, o Fado, entre muitos outros tesouros do nosso país.

As ilustrações bem-humoradas de Alberto Faria, combinadas com o rigor e a criatividade do texto de Rita Jerónimo, tornam esta viagem inesquecível para leitores de todas as idades.

E no final, as observações divertidas e curiosas dos irmãos e as explicações simples, e cheias de sabedoria, do avô Zé e da avó Alice vão deixar saudades.

Afinal, a «saudade» é ou não é um património cultural imaterial português?


Sobre o ilustrador:

Alberto Faria nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Design pela Faculdade de Belas Artes. Desenvolve atividade de diretor de arte e ilustrador. Colaborou com as agências de publicidade BBDO, Brandia, Fuel e Young & Rubicam, entre outras, e em publicações como O Público, Diário de Notícias, Ler, Evasões e Volta ao Mundo, bem como com as editoras Gailivro, Cotovia, Caminho, Texto, Sebenta, Abysmo, La Vanguardia, Planeta DeAgostini Espanha e Leya Brasil. Foi premiado em alguns dos principais festivais de publicidade nacionais e internacionais, e foi autor de sardinhas premiadas nas Festas de Lisboa em 2013, 2014 e 2015. Participou em mais de 20 exposições coletivas.


Rita Jerónimo nasceu em Lisboa, mas tem raízes em África. É antropóloga de formação e coração.

Tem trabalhado desde sempre na área do Património, tanto o material, em projetos museológicos em vários locais do país, como, mais recentemente, o património cultural imaterial, tema do seu projeto de doutoramento, cujo estudo de caso é a candidatura do Fado à lista da UNESCO. É técnica do Setor de Património Cultural da Câmara Municipal de Odivelas.

Já publicou textos académicos e crónicas de viagens para famílias. Herdou do pai o gosto pela preparação e pelo registo de passeios em família, que já conseguiu transmitir aos filhos.