• Autor Condessa de Ségur
  • Ilustrador
  • Coleção Tesouros da Literatura
  • ISBN 9789897079399
  • PVP 13,29 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de novembro de 2020
  • 1ª Edição maio de 2019
  • Edição atual 1.ª
  • Páginas 208
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 140x208x13 mm
  • Idade 9+

Obra recomendada

Leitura autónoma para o 3.º ano

Um clássico da literatura infantojuvenil que tem conquistado várias gerações de leitores.

A Condessa de Ségur começou a escrever tarde, mas não deixa por isso de ter um lugar importante na história da literatura. Desde o século XIX que os seus livros são lidos por crianças do mundo inteiro. O que este livro tem de divertido e enternecedor está no facto de nos
dar a ver a liberdade, a ousadia e a bondade de Sofia. Esta menina tem uma imaginação prodigiosa que a leva a inventar, experimentar e criar constantemente. Os passeios pela natureza, o contacto com os animais ou as tardes livres sem nada para fazer são ocasiões perfeitas para ela dar largas à sua natural e saudável curiosidade por tudo o que a rodeia.

Os desastres sucedem-se, e de todos Sofia tira uma lição. Tal como ela aprende com os erros, também os jovens leitores poderão aprender com os divertidos sarilhos em que ela se mete.

«Num ambiente doméstico situado entre a casa apalaçada e o espaço circundante - bosques e jardins -, as crianças desta história crescem com uma liberdade e uma criatividade que quase já não existem, inventando mil e uma maneiras de se divertirem.» in Prefácio de Carla Maia de Almeida

Condessa de Ségur é o nome por que ficou conhecida Sophie Feodorovna Rostopchine. Nasceu a 01 de agosto de 1799 em São Petersburgo, na Rússia imperial, no seio de uma família aristocrática. A sua infância foi passada em Voronovo, propriedade magnífica que pertencia à família. A sua educação foi rigorosa e incluía a aprendizagem de línguas estrangeiras, com primazia para o francês. Em 1817, a família foi obrigada a exilar-se em Paris, e foi então que Sophie conheceu Eugène de Ségur, com quem casou em 1819, tendo tido 8 filhos.

A Condessa de Ségur começou por inventar histórias para os netos e só escreveu o seu primeiro livro aos 58 anos. Viria a publicar cerca de 20, dos quais os mais conhecidos são Os Desastres de Sofia, As Meninas Exemplares, As Férias e Memórias de Um Burro. Estas obras tornaram-na mundialmente famosa e fazem parte do imaginário de várias gerações um pouco por todo o mundo.

Morreu em Paris no ano de 1874 e é considerada uma das mais importantes escritoras de língua francesa do século XIX. As obras da Condessa de Ségur continuam a ser lidas, publicadas e adaptadas a outras formas artísticas, como o teatro e o cinema.