Rita Jerónimo e Alberto Faria

Rita Jerónimo nasceu em Lisboa, mas tem raízes em África. É antropóloga de formação e coração.

Tem trabalhado desde sempre na área do Património, tanto o material, em projetos museológicos em vários locais do país, como, mais recentemente, o património cultural imaterial, tema do seu projeto de doutoramento, cujo estudo de caso é a candidatura do Fado à lista da UNESCO. É técnica do Setor de Património Cultural da Câmara Municipal de Odivelas.

Já publicou textos académicos e crónicas de viagens para famílias. Herdou do pai o gosto pela preparação e pelo registo de passeios em família, que já conseguiu transmitir aos filhos.

Alberto Faria nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Design pela Faculdade de Belas Artes. Desenvolve atividade de diretor de arte e ilustrador. Colaborou com as agências de publicidade BBDO, Brandia, Fuel e Young & Rubicam, entre outras, e em publicações como O PúblicoDiário de NotíciasLerEvasões e Volta ao Mundo, bem como com as editoras Gailivro, Cotovia, Caminho, Texto, Sebenta, Abysmo, La Vanguardia, Planeta DeAgostini Espanha e Leya Brasil. Foi premiado em alguns dos principais festivais de publicidade nacionais e internacionais, e foi autor de sardinhas premiadas nas Festas de Lisboa em 2013, 2014 e 2015. Participou em mais de 20 exposições coletivas.

Livros da autora

Viagem ao Património Português

Rita Jerónimo e Alberto Faria

Afinal, a «saudade» é ou não é um património cultural imaterial português?